OAB decide pedir impeachment de Temer por crime de responsabilidade - Jornal Centro Oeste

Home Top Ad


domingo, 21 de maio de 2017

OAB decide pedir impeachment de Temer por crime de responsabilidade

OAB decide pedir impeachment de Temer por crime de responsabilidade
Foto: Eugênio Novaes/ OAB
A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) decidiu, por 25 votos a um, pedir o impeachment do presidente Michel Temer. Segundo informações do jornal O Globo, a discussão durou seis horas, com a ausência da bancada do Acre. O único voto contrário foi do Amapá. Já na sexta-feira (19) a seccional baiana já havia deliberado por apoiar um pedido de impedimento. O pedido deve ser apresentado nos próximos dias, apontando indícios de crime de responsabilidade na gravação da conversa de Temer e o empresário Joesley Batista. Ao ouvir que o sócio da JBS estava comprando juízes e um procurador da República, Temer não comunicou o fato às autoridades e ainda respondeu com um “ótimo, ótimo”. Para a OAB, ele agiu “de modo incompatível com a dignidade, a honra e o decoro do cargo", o que está previsto na lei que tipifica os crimes de responsabilidade de presidentes e ministros. 

A entidade aponta ainda que o peemedebista não se defendeu sobre o trecho nos dois pronunciamentos que fez sobre o caso. Os conselheiros da entidade ressaltaram que Temer não negou, nos dois pronunciamentos que fez, o trecho do diálogo que eles consideram grave. Deste modo, os integrantes da OAB avaliam que mesmo que o áudio venha a ser questionado por peritos ou a delação seja anulada, este tópico já foi "confessado" por Temer – o presidente chegou a afirmar que não acreditou no que Joesley dizia, porque ele é um conhecido "fanfarrão". “Não interessa se não era verdade, porque ele é presidente da República e tinha que ter agido. Dessa forma, ficamos todos mais seguros nessa decisão que estamos encaminhado “, argumentou a conselheira federal de Pernambuco, Adriana Coutinho. As características do encontro, realizado no fim da noite e fora da agenda oficial, também foram alvo de críticas. “Foi uma conversa nada republicana, traçada na calada da noite, sobre um dos maiores esquemas de corrupção, por alguém que é um constitucionalista. Quem conhece o Direito não pode agir assim”, aponta Ricardo Bacelar, conselheiro do Ceará.

Fonte: Bahia Notícia