Barra: Professores municipais lutam pela valorização da categoria

''Gorduras'' da folha de pagamento começam aparecer

Por Fillis Niorges 04/09/2017 - 00:11 hs
Barra: Professores municipais lutam pela valorização da categoria
Reprodução

Coluna: DO PESCOÇO PRA BAIXO É CANELA!

Os profissionais da educação da cidade de Barra, localizada no oeste da Bahia, vem lutando pelos direitos constitucionais da carreira do magistério. Segundo informações de professores que não quis serem identificados por medo de perseguição, o prefeito vem mostrando dificuldade no cumprimento da Lei do reajuste salarial. Reajustes anunciados que segue os termos do Art. 5 da Lei 11738/0 de 16 de Julho de 2008, que estabelece a atualização anual do piso nacional do magistério, sempre a partir do mês de janeiro.

E os professores questionam, como a Lei será cumprida? Será que existem realmente ''gorduras'' nos gastos públicos do município? a exemplo de uma suposta professora que foi contratada com 40 horas na Escola de Igarité e hoje está em função desviada, se encontra na Sec. de assistência social do município. Fontes seguras confirmam que essa suposta professora nem pertence ao quadro efetivo de funcionários e apresenta no TCM com cargo efetivo, sendo que a mesma é do quadro efetivo da cidade de Muquém enquandrada com 40 horas na docência pelo atual prefeito do município citado.

Fatos como esse, é que vem impossibilitando, segundo professores, de acontecer o reajuste salarial e a mudança de nível que algum tempo a categoria vem lutando. Principais atos de ilegalidades, contatações sem concurso público, provavelmente esta sendo paga com recursos do FUNDEB e a suposta prática do nepotismo. 

''Esse reajuste no piso é algo importante, porque significa, na prática, a valorização do papel do professor, que é central na garantia de uma boa qualidade da educação'' Declarou Mendonça Filho (Ministro).  ''Não podemos ter uma educação de qualidade se não tivermos professores bem remunerados e motivados.'' 

Sem contar as perseguições políticas que muitos professores sofrem por que votaram contra. O certo é aguardar para que as coisas mude. Enquanto Nego arruma a casa, professores aguardam a realização das promessas feitas em campanha.

Mande a sua sugestão de pauta, Aqui com a gente é Rosa ou é Rita, Rosita não, do pescoço pra baixo é canela!


Comente este assunto.